25 de out de 2013

Receita pra curar um coração machucado

| | 0 comentários
   Todo mundo acha que sabe o que é a melhor solução pra um coração machucado. Uns dizem que é o tempo, o tempo curo tudo. Outros dizem que é outro amor, pra esquecer alguém é só amar outra pessoa. Mas ai quando você tenta seguir uma dessas, ou qualquer outra receita pra parar de sofrer, TCHANAM! Não funciona, as vezes só piora. 
   A verdade é que ninguém sabe o que fazer. Se alguém soubesse, provavelmente já teria ficado milionário, todo mundo se machuca as vezes e ninguém quer ficar sofrendo. Mas o fato é que ninguém sabe. Quando não é você quem teve o coração estraçalhado por outra pessoa é muito fácil dar conselhos inteligentes e receitas milagrosas. É a mesma coisa quando alguém quer perder peso, "é só parar de comer e correr 40 minutos todo dia". Aham, ok, fácil assim. 
   Só que quando somos nós caídos no chão, levantar, tirar a poeira dos joelhos e continuar andando não é nada realista. E sabe por que? Porque isso não acontece na vida real. Na vida real os cortes demoram pra cicatrizar, alguns deixam marca pra sempre. Na vida real engolir o choro as vezes é impossível, perdoar é uma das tarefas mais difíceis e confiar em alguém de novo não depende só de querer ou não.
   A vida real exige mais do que tempo, ou vontade. É preciso de vez em quando guerrear com uma parte de você que você nem sabe que existe. É preciso aprender a bloquear certos pensamentos, aprender a controlar o próprio subconsciente. E como fazer isso? Não sei. Ninguém sabe. Mas a gente tem que ir tentando, errando e tentando, até que alguma coisa dá certo. E ai talvez uma partezinha de nós comece a sarar. Aos poucos começamos a enxergar mais longe. Voltar a ser como era antes? Nunca. 
   Contradição da minha parte começar o texto dizendo que não tem receita e terminar dando uma. Exceto que não é uma receita. São apenas ideias que vieram na minha cabeça enquanto eu tento consertar o meu coração machucado. Ei, pare de procurar as respostas aqui. Elas estão ai ó, dentro de você mesma.

11 de ago de 2013

Só mais um

| | 8 comentários
   Eu queria. Você queria. Mas eu queria demais. E ai tinha a pressão. Foi tudo por causa da pressão, não foi? Não, não precisa mentir agora. O estrago já tá feito. Já caí e detonei cada partezinha do meu corpo, e coração. Não to te culpando tá? Só um pouco. Tenho consciência de que grande parte do que eu sinto fui eu mesma quem criei. 
   E não comece a pensar que você fez alguma diferença na minha vida, que você mudou alguma coisa. Você só foi mais um, assim como eu fui mais uma. Daqui uns tempos você vai ter ficado pra trás. Igualzinho todos os outros com que me iludi. E no fim você vai ser só mais um carinha nas fotos da época de colégio. Eu to destruída sim, como já falei. Mas eu saro. Sempre saro, todas as vezes. Pode demorar mais, talvez menos, provavelmente menos. Mas vai passar. Não que eu ache que você se preocupa (já abri meus olhos). To falando isso pra você não ficar se achando o bonzão.
   "Life goes on"
   Amanhã vou acordar cedo como todos os outros dias. Vou me arrumar, sair de casa, passar a manhã com um pouco de sono, depois diminui. Vou almoçar, descansar um pouco e fazer o que for preciso de tarde. De noite vou tomar banho, colocar o pijama, tomar uma xícara de chá, escovar os dentes e dormir. E no outro dia de novo, e de novo. Ninguém vai saber o que passa aqui dentro, nem você vai perceber. E ai vai chegar o momento em que até eu já esqueci. Daqui um ano não vou nem lembrar como era sofrer por sua causa. 
   Você nunca vai ler esse texto. Mas não importa. Não escrevi pra você, escrevi pra mim. Sabe eu tenho uns jeitos estranhos de me fazer sentir melhor sem precisar de ninguém. Demora, dói, mas acontece. Sempre acontece, e é cada vez mais fácil. To aprendendo a abrir mão do que não me faz bem. Então to abrindo mão de você. Vai embora rápido, quanto mais rápido melhor. Não precisa virar pra trás e acenar com a mão, eu não tô mais olhando. 

14 de jul de 2013

Every now and then I fall apart

| | 7 comentários
   Da onde vem essa infelicidade repentina que as vezes num sábado de manhã deixa a gente desesperado pra desaparecer? Ta aí o assunto pra terapia dessa semana. Se para mim é impossível de entender - e refutar - a terapeuta deve ter uma explicação mais clara. 
   Mas que droga. Eu poderia estar vendo TV, passeando no shopping, pegando um sol no quintal, poderia estar comendo. Não. Estou sentada na cama, escrevendo sobre um sentimento que nem sei qual é. Que droga. 
   "Every now and then I fall apart" Adoro essa frase. Parece minha. Mas não é. Mas parece. Pra mim.
   Não deve ser normal. Qual é a lógica de acordar de manhã e se sentir um pedaço de lixo? Sem razão? Ok, talvez tenha uma razão. Ou melhor, tem uma razão. Ta na hora de parar de enrolar e admitir que tem uma razão. Tem. É a minha mente. A minha mente, e talvez o coração, que fazem toda essa lambança aqui dentro. Essa disputa idiota pelo controle entre um e o outro. Se é que são duas partes. Talvez seja só uma - eu - tentando desesperadamente e inconscientemente causar uma autodestruição. 

BUM!

Não?

...

Não. Ainda to aqui.

   Já ouvi dizer que tem gente que gosta de ficar triste. Faz sentido, ou não. Já aconteceu com você de ver dois caminhos diferentes? Um deles é uma descida, não muito íngreme, que você só desce se quiser, porque dá pra voltar. E o outro é pra cima, fácil, simples, você só precisa escolher ir por ele. Parece óbvio a escolha certa, mas por alguma razão você escolhe errado, vai pra baixo. Talvez a razão seja essa: tem gente que gosta de ficar triste. Será que eu sou assim? Que droga. 
   Ah, hoje to dramática demais pra fazer sentido. Isso é problema da terapeuta na terça que vem. E meu também. Mas foda-se. Já to de saco cheio de pensar. Então vou continuar indo pelo caminho errado, até eu cansar.

26 de jun de 2013

13 quartos para você se inspirar

| | 9 comentários
Estou reformando meu quarto e por isso andei pesquisando muito sobre decoração. Achei algumas ideias bem legais e até simples pra compartilhar aqui. Ai estão alguma delas!
 01. Pra quem gosta de quarto clarinho, é legal combinar o branco com alguma cor fraca, como o lilas da foto. Também dá pra colocar bastante iluminação e alguns detalhes mais escuros, como as almofadas, o banquinho da penteadeira e até as luminárias.
 02. Cobrir o chão com uma cor escura como na foto fica ótimo. Vermelho, bordô, azul, verde, roxo, até preto. E ai o truque é dar uma equilibrada com o resto.
 03. Quartos sem guarda roupa são um charme. Só araras: é barato e fica demais. Mas tem que ser organizada né?
 04. Chão e paredes brancas, combinadas com móveis escuros. Sou apaixonada por cobertores e edredons pretos.
 05. Ser criativa também vale. Invente seu próprio mural de fotos iluminado, como na imagem.
 06. Decorar o quarto com um tema de viajem também é demais! Bandeiras, mapas e fotos de viagens. Fica lindo!
 07. Não equilibrar cores pode ser uma  ótima ideia. Quase tudo branco. Não dá uma sensação de limpeza?
 08. Colocar um mapa enorme na parede pra nunca esquecer de como é bom viajar. Que tal?
 09. A combinação de preto e rosa pink fica lindo. É clássico entre as garotas, e tem lá seu charme.
 10. Acho lindo quadros com fotos de cidades grandes. E colocar um na parede do quarto fica legal. O bom é que você os encontra  por preços baratos em alguns lugares, é só procurar.
 11. Escolhi essa foto por causa da iluminação. Essas luzinhas já são clichê, mas ainda acho muito bonito. Essa "meia iluminação" da um ar de aconchego pro quarto. E dá pra fazer você mesma!
 12. Adoro cobertas com estampa de zebra. Quem sabe não fica perfeito no seu quarto? Dá pra colocar com muitas almofadas e travesseiros e montar um cantinho bem gostoso.
13. Pra quem desenha uma ótima ideia é fazer um mural com vários desenhos. Acho que fica bem legal, né?

É sempre gostoso olhar ideias novas pra mudar o quarto. Espero que tenham gostado!

22 de jun de 2013

Meus 3 seriados preferidos

| | 6 comentários
   Minha paixão por seriados só aumenta. Cada vez que conheço um novo com uma história interessante e personagens que me agradam, fico presa até o último episódio liberado. Não tenho tido muito tempo pra assistir (obrigada cursinho) mas sempre dou um jeito de ver pelo um pedaço todo dia. Parece que não rende, mas quando percebo já terminei uma temporada. Aliás, quem sofre com falta de tempo devia experimentar. Assistir enquanto almoça, enquanto faz as unhas, enquanto organiza o quarto, e assim vai.
   Bom, to amando tanto algumas séries que não pude deixar de compartilhar. Então vamos lá!

01. Dexter
Sempre ouvia falar, mas nunca me interessei ao ponto de assistir. Besteira! Foi só dar uma chance ao primeiro episódio que em um mês acabei com as 7 temporadas. Esperando ansiosamente pela oitava! 
(...) Dexter Morgan é uma pessoa que já nasceu com instinto assassino. (...) O personagem principal é um especialista forense em padrões de espalhamento de sangue da polícia de Miami que nas horas de folga persegue e mata assassinos que de alguma forma escaparam da justiça. É um serial killer cheio de princípios que, de certo modo, está fazendo do mundo um lugar melhor. (...)
02. The Client List
Já vi algumas críticas negativas sobre essa, mas pessoalmente achei muito boa. O enredo por trás dos episódios é diferente e interessante, os atores são ótimos e os personagens cativantes. Talvez eu não saiba julgar direito, mas acho muito boa. Ainda mais porque adoro a atriz principal. 
Estrelada por Jennifer Love Hewitt (de Ghost Whisperer) e Cybill Shepherd, a série apresenta a vida de Riley, uma dona de casa do Texas com 2 filhos que, abandonada pelo marido, vai trabalhar em uma casa de massagem conhecida como The Rub. No entanto, descobre que o lugar tem uma lista de clientes que receberem massagens "especiais".
03. Switched At Birth
Com o começo fiquei meio assim, mas continuei assistindo e agora mal posso esperar pra assistir outro episódio. O legal é que a série não está muito avançada, então dá pra alcançar e ir assistindo em dia os que são liberados. Trailer.
A série conta a história de duas adolescentes que foram trocadas na maternidade. Bay Kennish cresceu em uma família rica, com seus pais e um irmão. Enquanto isso, Daphne Vasquez cresceu filha de mãe solteira. Além disso, a garota contraiu meningite quando criança, sendo então surda como sequela da doença. A situação se torna dramática quando as famílias se encontram e precisam aprender a viver juntas, para o bem das garotas.

Eu poderia continuar a lista, mas não quero cansar vocês, então fica para a próxima! Agora me conta, você assiste alguma dessas, ou outras, que gosta muito?